Facebook Twitter Google RSS

20 de janeiro de 2017

Capricórnio com ascendente em Touro significado no mapa astral

Mega Astral     09:35  No comments

Capricórnio com ascendente em Touro

ascendente touro


                 Essa combinação revela que o elemento terra rege bastante você, temos dois signos do elemento terra, indicando alguém com muita perseverança, determinação e planejadora, mas muito lenta, pois se preocupa muito mais com a segurança e estabilidade do que em resolver o objetivo rapidamente. Tudo para você deve ser feito para lhe passar segurança e certezas. 

                O sol em Capricórnio está localizado na nona casa, o que indica alguém que procura fortemente por crenças universais, alguém muito ligado à filosofia e religião, apesar de sempre tender ao pessimismo, apenas cuidado para não se apegar demais aos seus dogmas e acabar querendo impor suas crenças aos demais.

                Outro problema é a teimosia, dois signos de terra altamente teimosos não é fácil de lidar, se Marte e/ou Lua estiverem em outro signo teimoso, como Áries, Aquário, Leão e Sagitário pode ser algo que realmente precise ser trabalhado.

                Com esse ascendente, a preocupação com a beleza e vaidade está muito elevada, o que por um lado é bom, mas apenas tome cuidado para não exagerar, já que Capricórnio pode gostar demais do Luxo desse ascendente.



Veja também: Sol em Capricórnio ; Ascendente em Touro e Capricórnio com outros ascendentes .

16 de janeiro de 2017

Sol em Capricórnio com ascendente no mapa astral

Mega Astral     19:28  No comments
Capricórnio com ascendente em ....
ascendente
Clique no seu signo ascendente para descobrir o seu significado.

29 de dezembro de 2016

Capricórnio com ascendente em Áries significado no mapa astral

Mega Astral     13:12  No comments

Capricórnio com ascendente em Áries

ascendente em aries             Capricórnio e Áries são signos que formam uma quadratura, ou seja, possuem diferenças básicas, como por exemplo o fato de Capricórnio ser mais planejado e Áries mais impulsivo, a ação dos dois é diferente, mas seus objetivos não. O desejo de se ter controle das situações e de ser muito focado e determinado em conseguir o que se quer são presentes em ambos os signos. Mesmo que, Áries perca o interesse logo após a conquista e Capricórnio só a troque por algo melhor e depois de ter total certeza que realmente é algo melhor.

             O maior problema que se encontra na quadratura Áries X Capricórnio (ou Marte X Saturno ) é a paciência capricorniana e a pressa ariana, sendo assim, você viverá o conflito de deixar oportunidades passar por lentidão própria, como em outras tomará atitudes precipitadas. Mas não se preocupe, quadraturas, apesar de mostrar formas de ações completamente opostas, uma vez resolvida, se torna uma ótima habilidade. Apenas é necessário saber equilibrar estas energia opostas.

             Mas também há um lado positivo nesse aspecto. O elemento Terra em seu mapa lhe ajudará a ser mais realista e prático, principalmente com seus ideias, o que é faltoso quando se fala de Áries, mas este, por sua vez ajuda a dar todo o impulso e velocidade que os signos de terra não tem de modo algum. Podendo ser uma ótima pessoa para tomar decisões, e como os dois signos são cardeais, a vontade de liderar está muito destacada aqui, então é um ótimo líder, mesmo que seja autoritário demais na maioria das vezes.

Veja também: Sol em Capricórnio ; Ascendente em Áries e Capricórnio com outros ascendentes .

25 de dezembro de 2016

Mitologia grega: deusa demeter caracteristicas

Mega Astral     19:27  No comments

Deusa Deméter e suas características

ceresRaça: Deusa Olímpica-telúrica (Cronida)

Aspectos: Deusa da agricultura; Deusa dos cereais; Deusa das estações do ano.

Cônjuge: Amante de vários mortais

Filiação: Cíbele e Saturno.

Descendentes: Proserpina; Pluto.

Aliados: Gaia; Juno; Júpiter; Fauno; Fauna; Cíbele; Pomona; Baco; Diana.

Plantas relaccionadas: Cereais em geral; datura; manjerona; estrepeiro; cipreste.

Atributos e símbolos: Foice; espigas; cornucópia.

Signo associado: Virgem.

Festival romano:  12 a 19 de Abril (o dia em que o trigo espigava)

Ceres (ou Deméter, em grego), é a Deusa dos cereais, da colheita, agricultura e ciclos anuais da terra, é a padroeira dos agricultores. Com seu irmão, Júpiter, gerou Proserpina (personificação dos ciclos anuais), com o mortal Iásio gerou Pluto (personificação da abundância). Ambos os seus filhos representam cada uma de suas partes.

Ceres é muito conhecido pelo mito do rapto de Proserpina: Plutão, cansado de viver sozinho em seu palácio no Submundo, resolve se unir com uma Deusa, mas nenhuma delas queria viver eternamente nas trevas do mundo Inferior. Plutão viu um dia a bela Proserpina, filha de Ceres, colhendo flores com as ninfas Oceânides. Ele então aparece diante dela vindo de uma fenda no chão, em sua carroagem puxada por cavalos negros. Plutão então a rapta e a leva consigo para as profundezas. Ceres ficou desesperada por não encontrar a filha. Vagou por toda a Terra a procura dela, esquecendo seu papel como Deusa da agricultura, fazendo com que a terra fique infértil. Na cidade de Elêusis, Ceres ensinou aos mortais o segredo dos ciclos, os segredos da morte e do renascimento, gerando uma grande seita mística conhecida como "Mistério de Elêusis".

Hécate e o Sol ajudam Ceres a encontrar a filha, até que descobrem que ela está com seu irmão Plutão nas profundezas da Terra. Ceres então pede a ajuda de seu outro irmão, Júpiter, para obrigar Plutão a devolvê-la. O senhor do Submundo aceita, porém se Proserpina haver comido algo de seu mundo, ela terá que permanecer. Proserpina havia comido algumas sementes de romã, então Plutão e Ceres fazem um acordo: Proserpina passa três meses com Plutão, e o resto do ano com a mãe. E durante esses três meses, Ceres se entristece por não ter a filha por perto, fazendo com que venha o período infértil da terra (início do outono).

Os Mistérios de Elêusis eram os cultos místicos de maior importância na antigüidade clássica. Nesses cultos, cultuava-se o ciclo anual das estações, a ida e a volta de Proserpina (nascimento, morte e renascimento). Os rituais e os cultos eram fechados e os segredos eram guardados apenas aos iniciados. Sinais desse culto podem ser observados em práticas iniciáticas modernas. Entre os romanos, os culto secretos à Ceres eram realizados freqüentemente apenas por mulheres.

Foi Ceres que ensinou aos mortais o cultivo da terra para a agricultura. Durante a vida, ela descobriu os segredos da terra, do plantio, e ensinou às pessoas de seu povo, recebendo crédito em várias outros clãs e povos, sendo considerada uma Deusa, a Deusa da agricultura. Hoje ela se encontra num outro plano, no Olímpo, zelando a quem pede-lhe auxílio.

24 de dezembro de 2016

Mitologia grega: Poseidon deus grego

Mega Astral     16:07  

Poseidon deus grego

Raça: Deus Olímpico-aquático (Crônida)

Aspectos: Deus dos mares; Deus do Mediterrâneo; Deus da ilusão; Deus Rei do mar.

Cônjuge: Salácia (Anfitrite)

Filiação: Cíbele e Saturno

Descendentes: Tritão; Belerofonte; Boetus; Heleno; Agenor; Belo; Leuconoe; Hirieu; Abas; Efóceo; Evadne; Megareu; Cigno; Anceu; Anteu Pélias; Neleu; Eupemo; Lico; Nicteu; Eumolpo; Polifemo; Caríbdis; e o carneiro Crisómalo.

Aliados: Pontos; Proteu; Nereu; Apolo .

Plantas relacionadas: Cedro; lótus; mirra; hibisco; plantas marinhas.

Atributos e símbolos: Tridente; cavalo; golfinho.

Signo associado: Peixes.

Festival romano:  23 de Julho.

mitologia grega
Neptuno, também chamado pelo nome grego de Poseidon, ou Posidão, é filho de Cíbele e Saturno, e rei do mundo aquático. Desde que seu irmão, Júpiter, obrigou seu pai a vomitá-lo e a seus irmãos, Neptuno se aliou a seu irmão junto aos outros irmãos numa luta contra os Titãs. Neptuno recebeu o tridente dos ciclopes, após ele e seus irmãos os libertarem. O Deus também é chamado de "Treme-terra", devido ao seu poder de comandar terremotos e outras catástrofes, sobretudo no mar.

Durante a fundação da cidade grega de Atenas, os Deuses Neptuno e Minerva (Atena), se ofereceram para serem padroeiros da cidade. Seria escolhido aquele que fizesse algo útil ao povo ateniense. Poseidon fez surgir um pequeno lago de água salgada, enquanto Minerva fez surgir uma árvore de pequenas frutas pretas (oliveira). Os atenienses então escolheram Minerva, e por isso colocaram o nome da cidade de "Atenas", em homenagem a ela.

Zeus e Apolo já tentaram fazer um motim para destronar Júpiter, porém não conseguiram, então foram castigados a ajudar o rei de Tróia. Apolo foi punido a pastar ovelhas na cidade de Tróia, e Neptuno foi punido a construir as muralhas da cidade de Tróia. Aquela muralha ficou tão sólida e protegida, que os gregos aqueus, após a Guerra de Tróia, jamais conseguiram derrubar as muralhas. Odisseu, rei grego de Ítaca que participou da guerra, teve a ideia de atravessar as muralhas dentro de um grande cavalo de madeira, onde puderam em frente aos portões, como se fosse um presente de rendimento. Os troiano levaram o cavalo para dentro e festejaram a vitória. 

Durante a noite, quando todos já estavam bêbados, os guerreiros aqueus saíram do cavalo e começaram a atacar, vencendo a guerra (leia a Ilíada). Neptuno, que apoiava os Troianos, se vingou de Odisseu, fazendo com que ele perca o rumo no mar na volta para sua terra.

Neptuno é um dos vários Deuses que possui o tridente (podemos ver este símbolo em divindades de várias religiões). Seu domínio é os mares, os oceanos, que se estendem até os confins do mundo. São, simbolicamente, as fronteiras do universo, cingindo todos os outros Reinos. As três lâminas do tridente simbolizam os três mundos em equilíbrio, contudo também simboliza a iniciativa ao divino e a purificação, simbolizado, cabalisticamente, pelas cinco esferas inferiores da Árvore da Vida.

Neptuno foi responsável pelo surgimento do carneiro Crisómalo, que tinha a pelagem de ouro (Tosão de Ouro), no qual possui muitas lendas a respeito. Leia Argonautas para conhecer os vastos mitos do Tosão de Ouro.

Neptuno era muito cultuado por navegantes, que lhes pediam ventos favoráveis e uma viagem tranqüila. O mais comum sacrifício a Neptuno é o cavalo. 

Lenda de Poseidon e Medusa


Medusa já foi uma mulher deslumbrante, que todos os homens da Grécia queriam possuir e toadas as mulheres a invejavam. Mas medusa não podia se casar porque era sacerdotisa de Atena deusa da guerra e virgem, ela estava além dos desejos masculinos, por isso as servas do templo de Atena deveriam ser virgens. Mas Poseidon, enlouquecido pelo desejo, violentou a sacerdotisa virgem dentro do templo de Atena. 

A inocência de Medusa foi roubada e sua vida mudaria para sempre. Por ter profanado o templo da deusa, Atena despertou sua ira, mas não sobre Poseidon(como deus masculino, o que ele fez não a surpreendeu) aos olhos de Atena era medusa quem devia ser castigada. Ai então a vitima se tornaria a acusada. Atena roga uma sentença arrasadora sobre Medusa e então, Medusa de bela se torna um monstro. Quem a olhasse se petrificaria

Mitologia grega: Deusa Atena e suas características

Mega Astral     15:52  

Deusa Atena e suas características
mitologia grega

Raça: Deusa Olímpica

Aspectos: Deusa da estratégia; Deusa da razão; Deusa do conhecimento; Deusa das habilidades.

Cônjuge: Não possui

Filiação: Métis e Júpiter

Descendentes: Não possui

Aliados: Júpiter; Niké; Diana; Vesta; Têmis; Diké.

Plantas relacionadas: Oliva; alecrim; figo; lírio; cedro; pimenta; salva; sândalo; manjericão; madressilva; violeta; gerânio; açafrão; hortelã.

Atributos e símbolos: Égide (escudo de górgona); lança; elmo; coruja.

Signo associado: Libra.

Festival romano:  19 de Junho.

"A coruja de Minerva só levanta voo ao cair do crepúsculo" – Hegel

Minerva (ou Atena, em grego) é a Deusa da sabedoria, da inteligência, das táticas de guerra, da razão. Também é chamada de Palas Atena. Ela foi uma Deusa muito importante e bastante cultuada entre os gregos, sobretudo nas grandes cidades, e seu culto se expandiu entre as várias culturas, desde à península Ibérica e norte da África até a Índia.

Minerva é filha de Júpiter com Métis. Após o Céu e a Terra profetizarem que Júpiter seria destronado pelo seu filho homem nascido de Métis, o Deus tratou logo de engolir a Deusa para impedir isso. Alguns meses depois houve uma forte dor de cabeça em Júpiter, que pediu então para Vulcano abrir sua cabeça com o machado. Este abriu, e da cabeça de Júpiter nasceu Minerva, portando armaduras e armas.

Minerva possui forte influência sobre o pensamento grego, tanto na ciência e filosofia quanto nas artes. Ela é a Deusa da razão científica, a luz da razão, muito retratada em ordens esotéricas. Minerva foi eleita a padroeira da cidade grega de Atenas, numa disputa entre a Deusa e seu tio Neptuno. Aquele que fizesse algo extraordinário e bom para a cidade seria o padroeiro(a) e a cidade receberia seu nome. Neptuno fez surgir uma fonte de água salgada, e Minerva fez surgir a uma oliveira, a primeira oliveira da Terra. Ao fazerem isso, os cidadãos escolheram Minerva (Atena) e nomearam a cidade com o nome da Deusa, Atenas (com s no final).

Inúmeros mitos incluem esta sapientíssima e tão virtuosa Deusa. O mais conhecido são as da trilogia da guerra de Tróia. Primeiro a Deusa disputou com Juno e Vênus para saberem qual das três é a mais bela. O responsável pela escolha foi o troiano Páris, que escolheu Vênus, e como prometido, ela lhe ofereceu a mulher mais bela do mundo, Helena. Helena era esposa de Menelau em Esparta, porém Páris a capturou.

Menelau disse a seu irmão, Agamemnon (então rei de toda a Grécia), sobre o acontecido, e este aproveitou este fútil motivo para fazer a tão esperada guerra contra Tróia, juntando todas as cidades e reinos gregos.

Neptuno apoiou os troianos, e Minerva os gregos (aqueus).

mitologia gregaOs gregos estavam perdendo, pois era impossível derrubar as muralhas de Tróia, porém havia um aqueu sábio, devoto à razão (Minerva), ele era Odisseu, que preparou uma estratégia para atravessarem as muralhas num grande cavalo de madeira, oferecido como um suposto rendimento. Os gregos então entraram em Tróia, saíram dos cavalos e começaram o ataque, vencendo a guerra (leia a Ilíada). Neptuno ficou tão irado que fez o máximo para que Odisseu não voltasse ao seu reino em Ítaca, mudando seu rumo no mar e levando-lhe em lugares perigosos. Felizmente Minerva esteve sempre ao lado do astuto Odisseu, dando-lhe oportunidades e rumos para lugares favoráveis (leia a Odisséia).

Enquanto Minerva é a lógica, a razão, Neptuno, descrito por Homero, seria o inconsciente, simbolizado pelo mundo das águas. Odisseu é o ser que é atraído pelo inconsciente (fúria de Neptuno), mas que sempre tenta seguir a razão (Minerva), para voltar à sua terra natal, ao lado de sua esposa Penelope (Alma universal, eudaimonia).


Minerva ajudou muitos heróis virtuosos em sua jornada. Ela emprestou a Perseu o seu escudo, esteve ao lado de Aquiles na guerra de Tróia, ajudou Hércules em seus trabalhos. Ela também castigava a quem não lhe era favorável, como quando cegou o profeta Tirésias por este tê-la visto nua ao se banhar.

Mitologia grega: Ártemis deusa da lua

Mega Astral     15:38  

Ártemis deusa da lua
diana

Raça: Deusa Olímpica

Aspectos: Deusa lunar; Deusa dos bosques; Deusa dos partos; Deusa da caça; Deusa da magia; Deusa da fertilidade e maternidade.

Cônjuge: Não possui.

Filiação: Júpiter e Leto

Descendentes: Não possui.

Aliados: Apolo; Hécate; Proserpina; Salácia; Febe; Selene; Fauno; Minerva; Ceres; Vesta; Fauna.

Plantas relaccionadas: Artemísia; absinto; lírio; camélia; lunária; salgueiro; azevinho; trombeta; erva-cidreira; capim-limão; eucalípto; cânfora; rosa; sândalo; dama-da-noite; gaultéria; carvalho.

Atributos e símbolos: Arco; Lua crenscente; corça.

Signo associado: Câncer.

Festival romano:  13 de Agosto.

Diana (Ártemis, em grego) é Deusa da lua crescente, da sensitividade, da caça, dos bosques e vida selvagem, e da aversão à sociedade patriarcal. Com os tempos, Diana foi recebendo status de Deusa da magia, sendo devotada por muitas bruxas e adquirindo práticas de magia cerimonial em seus cultos nos grupos de mulheres que seguiam-na. Suas discípulas levavam uma vida feminista, silvestre, modesta e rebelde, muitas delas eram amazonas.

Logo que nasceu ajudou sua mãe a parir seu irmão gémeo, Apolo, tornando-se Deusa dos partos. Mulheres gestantes da antigüidade grega pediam-lhe auxílio no parto. Inicialmente, Diana foi considerada Deusa da vida selvagem. Parece que, durante sua vida, foi uma mulher que se rebelou contra o sistema patriarcal de sua época, saindo das áreas urbanas e vivendo em áreas naturais junto às suas discípulas.

Diana é uma Deusa casta, que mantém sua virgindade. Suas devotas também faziam votos de castidade. Mesmo sendo virgem e tendo aversão à homens, Diana amou o caçador Órion. Apolo, com ciúmes, fez um escorpião perseguir o caçador enquanto este nadava no mar. Enquanto Órion corria do escorpião, Apolo desafiou sua irmã, Diana, a atirar na distante criatura que nadava no mar (Órion). Diana atirou e o matou. Quando descobriu que a criatura era Órion. Vendo o engano, Diana pede a seu pai, Júpiter, que deixe Órion entre as estrelas, formando assim a constelação de Órion, e o escorpião também foi levado às estrelas ao lado de Órion.
Um dia, quando se banhava num rio com as suas caçadoras discípulas, o caçador Acteão, que por alí passava, viu-a nua. Tomada pelo momentâneo susto, Diana jogou um pouco de água do rio no caçador, fazendo-o transformar num cervo. Nem seus cães de caça o reconheceram, perseguindo e matando-lhe.

Em Éfeso encontrava-se uma das Maravilhas do Mundo Antigo, o "Templo de Diana". Lá, só trabalhavam sacerdotisas, todas castas e com status acima de qualquer cidadão. O principal ídolo de Diana do Templo ("Diana de Éfeso") mostrava a imagem da Deusa com vários seios, simbolizando a fertilidade, a maternidade, a abundância. Embora intocada, Ártemis sempre foi associada à maternidade e ao afeto, esta é a principal característica de toda divindade lunar. Curiosamente a cidade de Éfeso foi também a última morada de Maria, mãe de Jesus, a divindade lunar do cristianismo, que tem muita semelhança à Diana greco-romana.
O culto à Diana era amplo. Próximo ao lago Nemi, na Itália, havia um bosque consagrado à Diana, e um santuário também consagrado à Ela. Muitas feiticeiras e devotos da Deusa peregrinavam por lá. É lá o principal foco do culto bruxo italiano (Stregheria), centrada na dualidade divina, de Diana e Lúcifer.

Diana é uma das Deusas que melhor representa o ideal feminino, Deusa da lua crescente e dos bosques. Ela é a própria essência da Lua, representando pureza e intuição nas quais podemos sentir, e também é uma divindade terrestre, da fertilidade e maternidade. A Lua purifica e fertiliza as florestas e bosques, e também influencia as marés. Num aspecto mais interno, a Lua é associada também à geração, criação e maternidade.


Em termos de dualismo divino, Diana e Apolo formam uma dualidade. Diana é a simplicidade, enquanto Apolo é a extravagância. Diana é a alma, a intuição, enquanto Apolo é o logos, a razão. Diana é a Lua, e Apolo é o Sol. Ambos são igualmente importantes na harmonia cósmica.

Mitologia grega : Apolo deus grego

Mega Astral     15:29  

Apolo deus grego
deus do sol

Raça: Deus Olímpico

Aspectos: Deus solar; Deus das artes; Deus da profecia; Deus da purificação; Deus da razão; Deus da fé; Deus da harmonia.

Cônjuge: Várias amantes

Filiação: Júpiter e Leto

Descendentes: Esculápio; Troilo; Orfeu; Aristeu.

Aliados: Diana; Mercúrio; Neptuno; Salácia; Febe; Éros; Fauno; Vênus; musas.

Plantas relaccionadas: Louro; hidraste; mirra; olíbano; benjoim; alecrim; canela; cravo-da-Índia; carvalho; limoeiro; capim-limão; laranjeira; eucalípto; poejo; crisântemo; cravo; girassol; anis.

Atributos e símbolos: Lira; coroa de louros; cristal; ouro; auréola solar; cisne.

Signo associado: Leão.

Festival romano:  23 de Setembro.

mitologia grega
Apolo é o Deus das artes, da perfeição (física e moral), da profecia, da pureza e da razão. No mundo tanto latino quanto helênico era chamado de Apolo, mas também costumava ser chamado de Febo entre os latinos. Apolo é irmão gémeo de Diana (Ártemis). Quando o Deus nasceu, na ilha de Delos, sete cisnes deram sete voltas ao redor da ilha, e acabando a séptima volta, Apolo nasceu. 

A primeira a nascer foi Diana, que mal acabou de nascer e já ajudou sua mãe a parir Apolo. Os cisnes levaram o Deus para o norte, e quando cresceu foi viver na Grécia. Mais tarde, quando resolveu ir à Delfos (não confunda com a ilha de Delos), a cidade estava dominada pela monstruosa serpente Píton, filha de Gaia. Apolo lutou contra a serpente e a matou. Após isso, Apolo recebeu devoção e adoração na cidade, recebendo o Oráculo de Delfos, que antes era posse de sua avó, Febe. A Apolo também eram realizados os Jogos Píticos, uma série de competições "olímpicas" de entretenimento em honra ao Deus.

O Oráculo de Delfos era o mais conhecido templo-oráculo entre os povos do Mediterrâneo. Nele trabalhavam as sacerdotisas de Apolo, chamadas "pitonisas". Sentadas num banco de três pilares sobre uma fenda no solo, as sacerdotisas recebiam a inspiração mediúnica do Deus (ou de espíritos da mesma vibração de Apolo), dizendo suas profecias e conselhos, de acordo com o que se procura. Das fendas saíam gases do subsolo. Embora fossem apenas gases subterrâneos, ainda pode ser usado como divinação, afinal, a Natureza é divina e possui essência divina.

Durante a Guerra de Tróia (leia a Ilíada), Apolo ficou a favor dos troianos, se tornando muito venerado em Tróia. Quando ele e Neptuno falharam na tentativa de destronar Júpiter, Apolo foi punido a cuidar do rebanho do rei de Tróia. Durante esse período de pastoreio, nasce seu irmão Mercúrio, que, ainda bebê, pregava-lhe peças, roubando seu rebanho de ovelhas. Ainda bebê, Mercúrio inventou a lira, que encantou Apolo, então este resolveu trocar o rebanho pelo instrumento. Mercúrio também inventou a flauta-de-pã, que trocou com o irmão pelo seu cajado de ouro para pastorear. O cajado se transformou no caduceu.

Apolo é considerado o mais belo dos Deuses, ele é símbolo da perfeição, e também da pureza. Muitas vezes ele é dito como pai das musas, e isso faz muito sentido, pois Apolo é Deus das artes, e as musas representam cada tipo de arte. Apolo vive entre as ninfas, ele já amou muitas ninfas, Deusas, mulheres e homens.

Apolo muito se assemelha a Éros, pois ambos são Deuses da perfeição e harmonia, e ambos são considerados belíssimos. O papel de Apolo nisso é lembrar às pessoas do Amor Primordial (Éros), e que devemos ser puros e viver em harmonia para chegar a Éros.

O Império Romano, ao longo dos tempos, foi devotando-se a Apolo junto com Hélio (culto ao Sol Invictus), que, com a vinda do cristianismo, seu culto foi substituido pelo de Jesus. Apolo possui aspectos bem parecidos com Jesus, como a pureza, a perfeição, o aspecto solar, a razão e a harmonia. Quando Apolo destruiu a serpente Píton, simbolizou a razão e a justiça destronando o caos. A principal imagem que o Deus nos transmite é o de que a harmonia leva à perfeição.


Em termos de dualismo divino, Diana e Apolo formam uma dualidade. Diana é a simplicidade, enquanto Apolo é a extravagância. Diana é a alma, a intuição, a lua, enquanto Apolo é o logos, a razão, o sol. Ambos são igualmente importantes na harmonia cósmica.

21 de dezembro de 2016

Deuses gregos/romanos : hades e perséfone histórias

Mega Astral     13:29  

Hades ou Plutão e significado

Raça: Deus Olímpico-ctônico (Crônida)

Títulos: Zeus do inferno; O rico, O forte e O invencível.

Aspectos: Deus das riquezas; Rei do Submundo.

Cônjuge: Proserpina (Perséfone)

Filiação: Cíbele e Saturno

Descendentes: Macária.

Aliados: Nix; Orcus; Hípnos; Ares; Hécate; Baco.

Plantas relaccionadas: Menta; olíbano; romã; buxo; papoula; narciso; figo; açafrão-da-terra; açafrão; álamo; calêndula; anis; arruda.

Atributos e símbolos: Elmo de Invisibilidade; túnica preta; bidente (cetro de duas pontas).

Festival: As Februationes que aconteciam em fevereiro.

mitologia grega
Plutão, também chamado pelo nome grego de Hades, é o rei do mundo dos mortos. Desde que seu irmão, Júpiter, obrigou seu pai a vomitá-lo e a seus irmãos, Plutão se aliou a seu irmão junto aos outros irmãos numa luta contra os Titãs. Plutão recebeu o elmo de invisibilidade dos ciclopes, após ele e seus irmãos os libertarem. Seu nome latino, Plutão, significa "riqueza" (por ser o senhor das profundezas, onde há muitos metais e pedras preciosas), e seu nome grego, Hades, significa "invisível". Também é chamado de Necrodegmon (recebedor dos mortos) e muitos outros epitetos, pois temiam dizer o seu nome, era um tabu, assim como muitos cristãos temem dizer os diversos nomes de Satã (divindade cristã do mal).

Hades aparece em diversos mitos, o mais conhecido deles é o do rapto de Proserpina, onde conta o surgimento das estações do ano. Plutão, cansado de viver sozinho em seu palácio no Submundo, resolve se unir com uma Deusa, mas nenhuma delas queria viver eternamente nas trevas do mundo Inferior. Plutão viu um dia a bela Proserpina, filha de Ceres, colhendo flores com as ninfas Oceânides. 

Ele então aparece diante dela vindo de uma fenda no chão, em sua carroagem puxada por cavalos negros. Plutão então a rapta e a leva consigo para as profundezas. Ceres ficou desesperada por não encontrar a filha. Vagou por toda a Terra a procura dela, esquecendo seu papel como Deusa da agricultura, fazendo com que a terra fique infertil. Na cidade de Elêusis, Ceres ensinou aos mortais o segredo dos ciclos, os segredos da morte e do renascimento, gerando uma grande seita mística conhecida como "Mistério de Elêusis".

Hécate e o Sol ajudam Ceres a encontrar a filha, até que descobrem que ela está com seu irmão Plutão nas profundezas da Terra. Ceres então pede a ajuda de seu outro irmão, Júpiter, para obrigar Plutão a devolvê-la. O senhor do Submundo aceita, porém se Proserpina haver comido algo de seu mundo, ela terá que permanecer. Proserpina havia comido algumas sementes de romã, então Plutão e sua irmã Ceres fazem um acordo: Proserpina passa três meses com Plutão, e o resto do ano com a mãe. E durante esses três meses, Ceres se entristece por não ter a filha por perto, fazendo com que venha o período infertil da terra (inverno).

Hades e seu cão de três cabeças, Cérbero

Há muitos outros mitos referentes a Plutão. Um dos mitos é o da morte de Esculápio, filho de Apolo. Esculápio era um médico, que teve a fama de Deus pelo que fez de útil na vida. Ele era tão bom médico, que muitos deixavam de morrer, fazendo com que o reino de Plutão ficasse quase vazio. Plutão furioso pede para Júpiter matá-lo. Júpiter, percebendo que realmente está desequilibrando a ordem natural das coisas, atende as súplicas do irmão, matando Esculápio. Apolo furioso ataca os ciclopes, que são responsáveis pela fabricação das armas do Olimpo. Júpiter pune Apolo como escravo na Tessália por um ano.

No mito de Perseu, o herói recebeu, dentre muitos atributos divinos, o elmo de invisibilidade de Plutão.

No mito de Orfeu, este perdeu a esposa Eurídice, que fora picada por uma cobra. Ele desceu às profundezas e diante do trono de Plutão e Proserpina entoou um canto tão belo e fascinante que até os espíritos se comoveram. Plutão, comovido, traz de volta à vida sua esposa Eurídice, com a condição de que Orfeu não a olhe até saírem do Submundo. Infelizmente Orfeu a olha e a alma de sua amada retorna às profundezas.


Plutão é muito mal visto pela sociedade actual, e pela mídia, porém Plutão não é um Deus malígno, ele é tão neutro quanto os seus outros irmãos. Na minha opinião, Plutão é o mais generoso de seus irmãos. O facto de Plutão ser o Deus do Submundo, assusta muitas pessoas, porém devemos ter conhecimento da morte, temos que ter conhecimento desse grande mistério, que é o ciclo do espírito. Antes do espirito reencarnar, ele ganha suas recompensas, se foi bom na vida, ou suas punições, se foi mal na vida. Plutão não nos concede apenas punição, ele também nos dá recompensas depois da morte, mas para isso, precisamos ser virtuosos durante a vida.

Procurando por outra divindade? Veja a lista dos deuses gregos .

Deuses gregos/romanos: Hecate deusa tríplice significado

Mega Astral     13:19  

Hécate deusa tríplice significado

Raça: Deusa Ctônica


Aspectos: Deusa lunar; Deusa das bruxas; Deusa da magia; Deusa dos espíritos; Deusa das encruzilhadas; Deusa da mediunidade; Deusa dos marginalizados.

Cônjuge: Não possui.

Filiação: Astéria e Perses.

Descendentes: Circe.

Aliados: Ártemis; Selene; Zeus; Hades; Perséfone; Nix; Tânato; Hipnos; Héstia; Mercúrio.

Plantas relacionadas: Alho; anis; avelã; cânfora; camélia; sândalo; eucalípto; olíbano; mirra;  cipreste; papoula; datura; teixo; mandrágora; dama-da-noite; acônito; dente-de-leão; beladona; erva-cidreira.

Atributos e símbolos: Tochas; serpentes; Crescente Lunar; cães; trindade divina.

 Festival grego:  13 de Agosto.

Cópia romana de Hécate


Hécate (Associada com a Deusa romana Trívia) é uma Deusa misteriosa. Não sabe ao certo a origem de seu nome. Alguns dizem ser do grego, que significa "distânte" , outros opinam que seu nome é egípcio que significa "todo o poder". Hécate sempre foi vista como uma Deusa imaculada, iluminada, que sabe todos os segredos ocultos do Universo (ou soube durante a vida terrena). Com o avanço das sociedades patriarcais, Hécate começou a ser mais temida e obscura. 

Diziam que ela ordenava os fantasmas e maus espíritos durante a noite, e causava os pesadelos durante o sono.
Muitas feiticeiras da época seguiam devoção à Hécate, sacrificavam-lhe cães e cordeiros negros nos seus dias cultuais, uma das suas sacerdotisas míticas foi Medéia. Em seus ritos ocultos, a sacerdotisa costumava incorporar a Deusa para realizar trabalhos mágicos e aconselhar os fiéis. Algumas feiticeiras também mantinham culto a Ártemis. É interessante notar que enquanto Hécate é a Deusa da noite obscura e da lua nova, sua prima, Ártemis, é a Deusa da noite encantadora e da lua crescente.

Hécate costuma ser considerada filha de Nix em algumas tradições. Hécate também é uma Deusa Tríplice. Ela possui três aspectos, a virgem (ascenção), a mãe (auge)  e a anciã (declínio), isso também a torna uma Deusa do destino (veja Moiras).

Outro facto interessante é que toda Deusa lunar, relaccionada ao oculto, possui uma trindade, seja de qual religião for. Talvez essa triplicidade seja a base para tudo no Universo. A triplicidade simboliza o eterno ciclo que flui em todas as coisas.

A encruzilhada se associa à Deusa logicamente por ser um encontro de três caminhos. Também é interessante notar que encruzilhadas sempre são associados a vórtices e espíritos (moiras, lares, exus, pombagiras, etc). Hécate é a guia dos espíritos, senhora dos ciclos de reencarnação. Uma oferenda bastante comum desde antigamente é deixar cabeças de alho em um pequeno empilhado de pedras numa encruzilhada, geralmente era feito por viajantes, pedindo proteção à Deusa durante seu rumo.

Hécate é uma Deusa privilegiada, a quem Zeus muito respeita. Ela tem direito em partes de todos os três mundos. O poeta grego Hesíodo (séc. VIII a.C.) escreveu em seu livro Teogonia um hino inteiramente em homenagem a Hécate, onde conta suas ascendências e seu domínio em todos os três mundo, concedido por Zeus. Ela ajudou Zeus na guerra contra os Titãs. Zeus amou sua mãe, Astéria, e sua tia, Leto, na qual gerou dele Ártemis e Apolo.


Hécate é chamada pelos nomes de Soteira e também de Enódia. Ela é representada como uma mulher (ou três mulheres) segurando tochas e serpentes, ou uma mulher de três facetas, segurando tochas e serpentes, com uma coroa com o símbolo da Crescente Lunar. Seus lugares de culto são cemitérios, bosques, fronteiras, encruzilhadas, principalmente em noites de lua nova. Hécate é bastante cultuada por religiões neopagãs actuais, sobretudo a wicca, onde ela costuma ser associada inteiramente à Deusa Tríplice (princípio feminino, na wicca).

Procurando por outra divindade? Veja a lista dos deuses gregos .

Deuses gregos/romanos : Pan ou Fauno

Mega Astral     13:06  

Pan deus grego da luxuria

faunoRaça: Deus telúrico

Aspectos: Deus das florestas e bosques; Deus do rebanho; Deus da pecuária; Deus da agricultura; Deus da profecia.

Cônjuge: Há diversas versões (ora Fauna, ora Selene, etc)

Filiação: Júpiter e a cabra Amaltéia

Descendentes: Faunos (sátiros)

Aliados: Saturno; Ceres; Apolo; Proserpina; Príapo; Baco.

Plantas relaccionadas: Cipreste; azevinho; pinheiro; parreira; centeio; junco; capim-limão.

Atributos e símbolos: Flauta-de-Pã (siringe); bode; lobo; azevinho; pinha.

Festival romano:  15 de Fevereiro (em seu aspecto como Lupércio)

"Io Pã! Io Pã! Do mar de além; vem da Sicília e da Arcádia vem!" – Aleister Crowley

Fauno seria equivalente a Pã, na Grécia. Fauno é um Deus ancestral dos romanos. Ele é representado como um homem de aspecto silvestre, e com pernas e chifres de bode. Ele é um Deus da agricultura, da profecia, e, principalmente, do gado. seu epiteto mais comum como Deus do rebanho é" Lupércio" (Lupercus: aquele que repele os lobos), logicamente ele repele os lobos para que estes não devorem o rebanho.

deus pan
Como um Deus rústico das florestas, Fauno é chamado pelo epiteto de "Silvano". Sua principal função como Deus das florestas é a profecia. Foi o mais antigo Deus cultuado para oráculo em Roma. Suas profecias se dão nas florestas e por meio de sonhos, portanto tem-se que fazer oferendas ao Deus e dormir em florestas sagradas a Ele para receber profecias. Fauno (Pã) é associado à constelação de Capricórnio.

 Fauno e os faunos:

Fauno também é um Deus bardo e montanhês, criador da flauta-de-Pã. Na antiga Grécia, ele era cultuado dessa forma, e era chamado de Pã. Existe nas montanhas e florestas criaturas bardas chamadas faunos (ou sátiros, na Grécia), muitas vezes é dito que são filhos de Fauno, mas de uma coisa sabemos, eles são a essência de Fauno nas áreas silvestres, são espíritos da fertilidade, entidades masculinas que representam o prazer primordial e o bucolismo campestre. Sátiros são tarados pelas ninfas, que também vivem nas florestas e montanhas. Eles representam o animado (reino animal) e elas o inanimado (reino vegetal e mineral). Sátiros e ninfas se completam formando a essência criativa da natureza. Alguns faunos (sátiros) costumam ser seguidores de Baco, junto com as bacantes, pois também representam o prazer primordial e instintivo.

Fauno, rei itálico:

Fauno era também o terceiro rei do Lácio, na Itália. Filho de Pico com a bruxa Circe. Diz-se que seu culto como Deus surgiu por Fauno ser um rei que trouxe grande progresso na agricultura dos povos da Itália. Segundo Virgílio (séc. I a.C.), Latino, seu filho, foi advertido no sonho por Fauno, que sua filha, Lavínia, deveria casar-se com um estrangeiro, e desta união surgiria uma raça que dominaria o mundo, os romanos. Este estrangeiro era o troiano Enéias, filho de Vênus (Afrodite). Podemos perceber que o rei Fauno estava morto quando anunciou a seu filho por um sonho, anunciou talvez por mediunidade ou de um plano espiritual superior, que manteve contacto com seu povo por meio dos oráculos.

Seu culto na Itália, como Lupércio, era realizado em santuários. O principal festival era chamado Lupercal, e era realizado no monte Palatino, na gruta de Rômulo e Remo (onde foram criados pela loba). Seus sacerdotes atendiam a quem buscava fertilidade, sobretudo nos rebanhos. o festival ocorria no dia 15 de Fevereiro, com a finalidade de purificação e fertilidade, onde os sacerdotes vestiam as peles dos bodes sacrificados, e com tiras de couro das peles dos bodes corriam dando chibatadas nos participantes, sobretudo em mulheres inférteis, com a finalidade de obter fertilidade e purificação. Faziam isso até a carne dos participantes ficarem vermelhas. O vermelho era uma cor sagrada em Roma, simbolizava fertilidade. Hoje, devido a repressora cristianização, o festival foi substituído pelo dia de São Valentim (conhecido como dia dos Namorados). É dito que a loba Capitolina que amamentou os gêmeos Rômulo e Remo é na verdade Fauno, que se transformou numa loba.


Procurando por outra divindade? Veja a lista dos deuses gregos .

Mitologia grega : Tétis titânide significado

Mega Astral     12:24  

Tétis titânide mitologia grega

Raça: Titânide (Urânida)

Aspectos: Deusa marinha; Deusa das criaturas do mar.

Cônjuge: Oceano

Filiação: Gaia e Urano

Descendentes: Ninfas oceânides, rios e mananciais.

Aliados: Titãs; Ponto; Poseidon; Hera.

Plantas relaccionadas: Plantas aquáticas.

Atributos e símbolos: Peixes; asas prateadas.

Tétis é uma Deusa aquática, e junto com seu irmão, Oceano, gerou os rios, as nascentes e as três mil ninfas oceânides. Tétis personifica a vida marinha, o poder vital da água. Uma de suas filhas, a oceânide Métis, foi a primeira esposa de Zeus.

 Métis é a astúcia. Métis ajudou Zeus, dando-o um elixir para que ele entregue à Cronos, para fazê-lo vomitar os seus irmãos engolidos por este. Ao saber por ums profecia de Gaia que ele seria destronado por um filho homem com Métis, Zeus engoliu a oceânide grávida dele, e depois, de uma rachadura na sua cabeça nasceu a criança de Métis, Atena. Tétis cuidou de Hera, entregue a ela por Reia, durante a luta entre titãs e os deuses olímpicos. Em reconhecimento, a rainha do Olimpo reconciliou-a com Oceano, quando o casal se desentendeu.

Tétis é representada com asas prateadas na cabeça e um aspecto jovial, andando numa concha de marfim puxada por cavalos brancos.


Procurando por outra divindade? Veja a lista dos deuses gregos .

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Mostre aos amigos!

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *

Proudly Powered by Blogger.