Facebook Twitter Google RSS

5 de novembro de 2016

Deuses gregos/romanos : Deus da guerra mitologia romana

Eduardo Klinger     16:10  

mitologia romanaAres (ou Marte) 

Raça: Deus Olímpico



Aspectos: Deus da guerra; Deus da disciplina; Deus da virilidade.

Cônjuge: Amante de Vênus .

Filiação: Júpiter e Juno.

Descendentes: Anteros; Deimos; Éros; Harmonia; Fobos; Amazonas filhas de Otrera; Rómulo e Remo, e outros mortais.

Aliados: Éris; Neptuno; Plutão; Tânato.

Plantas relacionadas: Dragoeiro; sansevieria; louro; pimenta; gengibre; cebola; coentro; verbasco; pachuli; urtiga; vetiver; mostarda; mate; losna.

Atributos e símbolos: Armas; elmo; abutre; galo.

Signo associado: Áries.

Festival romano: 27 de Fevereiro (1ª Equirria) e 14 de Março (2ª Equirria)


Marte e Vênus são muitas vezes considerados como os principios criadores e formadores do Universo. Tudo tem um pouco de Marte e um pouco de Vênus, tudo tem guerra e amor, tudo tem masculino e feminino, projecção e recepção, muito e pouco, Yin e Yang. Este conceito é muito comum nas religiões e logicamente perceptível. Esses opostos (Marte e Vênus) não significa que temos que escolher somente um lado, não significa que um é bom e outro é mal. Ao contrário, significa que temos que buscar um equilíbrio entre ambos os lados, entre Marte e Vênus.

Foi por Afrodite que Ares ficou ao lado dos troianos na Guerra de Tróia, pois ele iria ficar ao lado dos Aqueus, jurando isso para Hera e Atena. Ares e Afrodite se amam, e permanecem juntos, formando esse equilíbrio cósmico. O símbolo de Marte é "♂", enquanto o de Vênus é "♀". Em termos de dualismo divino, Vênus e Marte formam uma dualidade. Vênus é o arquétipo da mulher, enquanto Marte é o arquétipo do homem. Vênus é a suavidade, a recepção, enquanto Marte é a agitação, a projeção. Vênus e Marte representam a atração sexual entre a mulher e o homem, pois, enquanto sendo opostos, sempre se amarão e desejarão estarem juntos, pois um completa o outro, formando a harmonia cósmica.

Marte (Ares, em grego) é Deus da guerra. Em Roma ele também era venerado como um Deus da agricultura, devido ao sincretismo etrusco. Quem lhe mantinha devoção eram guerreiros e cidadãos de cidades voltadas à guerra, como Esparta. Marte, segundo os mitos, é inimigo de Têmis (Deusa da ordem e justiça). Não deve-se ver o Deus de forma negativa, Marte não é só um deus da guerra, ele se associa com a lei que rege o mundo, que rege o karma de cada um.

deus grego ares Marte também está associado à disciplina, à liderança, à Lei Divina. Fazendo parte de sua característica guerreira, ele comanda o primeiro estágio solar (o signo de Áries), os que nascem sob este signo são corajosos, leais e destemidos como Marte, mas também podem ser agressivos e inconscientes se perderem a disciplina que lhes são confiadas.

Mitos de Marte

Nascimento de Marte


Filho de Zeus e de Hera, de quem terá herdado o carácter intratável (segundo seu pai), Ares nasceu na Trácia, o país das laranjas, dos cavalos e dos guerreiros. Ele pertence à geração dos doze grandes deuses do Olimpo, sendo venerado como o deus da guerra e da luta. A sua força física invulgar correspondia à sua fúria sanguinária. (Relacionamos o seu nome com a raiz grega arque significa: destruir.)

Ares era completamente obcecado pela luta. Deleitava-se a percorrer com a sua quadriga os campos de batalha, coberto com uma armadura de bronze e munido com uma enorme lança, espalhando o terror. Habitualmente era acompanhado por Éris, a Discórdia, e pelas sombras Kéros, sequiosas de sangue fresco.

Todo o Olimpo se afastava dele e o seu próprio pai não lhe escondia a sua antipatia. Curiosamente, o seu maior inimigo, como ele filha de Zeus, era Atena, deusa da razão, com quem entrava frequentemente em conflito. Ela dominava-o e atormentava-o facilmente, pois a violência de Ares era tão primária nas suas manifestações, tão pouco subtil, que o colocava assiduamente em situações humilhantes. Recordemos, a propósito, a sua captura pelos dois gigantes Aloídas, que o prenderam durante treze meses num vaso de bronze, até que Hermes o veio libertar. Mas a pior de todas as suas humilhações foi-lhe infligida por Hefesto.

Outros mitos de Marte

Marte não aparece em muitos mitos. O mais conhecido mito com Marte é sobre seu amor por Vênus (Afrodite). Vênus se casou com Vulcano (Hefesto), porém amava Marte, e não Vulcano. A Deusa então começou a traí-lo com Marte. Hélio, o Sol, que tudo vê, contou a Vulcano o que estava acontecendo, então o Deus do fogo construiu uma finíssima e resistente rede, e quando Vênus novamente se encontrou com Marte, Vulcano os prendeu na rede e levou-os ao Olimpo para serem humilhados. Marte teve que pagar tributo pelo adultério.

Marte é pai de Rômulo e Remo, descendentes de Enéias que fundaram cidade de Roma e a nacionalidade romana. Minerva, sua irmã, também é uma Deusa bélica, mas ela é Deusa das estratégias, diplomacias e uma guerra justa, enquanto Marte é Deus da guerra violenta, fundando-se em matar e vencer. Na verdade Marte é um severo aplicador da Lei Divina.

Marte na Guerra dos Gigantes

Claudiano descreveu o papel de Marte na guerra dos Gigantes. "O deus impele os seus furiosos corcéis contra a horda formidável e, imprimindo ao gládio um movimento irresistível, o monstruoso Peloro é atingido no ponto em que, por um estranho acoplamento, duas serpentes se lhe unem ao corpo que elas sustentam. Marte vendo-o tombar, faz passar as rodas do carro sobre o inimigo vencido, e o sangue que jorra desse corpo enorme avermelha as montanhas vizinhas.

"Entretanto, Peloro tinha um irmão, o gigante Mimas, que, ocupado em lutar noutra região, viu Peloro cair. Mimas pensa exclusivamente na vingança e, curvando-se para o mar, quer dele arrancar a ilha de Lemnos para atirá-la contra o deus. Marte evita o choque e com um golpe de lança fura a cabeça de Mimas, cujo cérebro se esparrama à direita e à esquerda.

Marte foi menos feliz com outros Gigantes. Fora aprisionado por Oto e Efialtes que o haviam mantido agrilhoado durante treze meses. O escultor Flaxman nos mostra o deus da guerra em posição humilhante. Oto e Efialtes tinham tentado escalar o céu colocando o monte Ossa sobre o Olimpo e o Pélion sobre o Ossa. Diana, para evitar-lhes a perseguição, viu-se obrigada a transformar-se em corça, e estando a fugir precipitadamente, os dois irmãos Gigantes, que vinham um em cada direção, atiraram contra ela, ao mesmo tempo, os seus dardos, e dessa maneira mataram um ao outro. (Apolodoro).

Festivais a Marte

Em seus festivais latinos, Equirrias, eram realizados corridas de cavalo em sua homenagem. 

Procurando por outra divindade? Veja a lista dos deuses gregos .

Quem sou Eu?

Astrólogo, Tarologo e graduando de Filosofia.

Já pensou?

RECEBA HORÓSCOPOS GRÁTIS

Acompanhe o site

Contact

Nome

E-mail *

Mensagem *

Proudly Powered by Blogger.